Image Alt

Escola

  /  Escola

Fundada em 1978, pelo Professor Carlos Marques, a Escola Oficina da Imagem é atualmente uma referência a nível nacional e até internacional.

O gosto por ensinar aquilo que aprendia, começou, quando ao serviço da Kodak, Carlos Marques frequentou um grande número de ações de formação em Londres, Paris, Madrid e Estugarda, para depois ministrar a mesma formação aos fotógrafos profissionais portugueses.
Quando, em 1978, saiu da Kodak para montar o seu próprio estúdio de fotografia publicitária, apercebeu-se que o país necessitava de formação profissional na área da fotografia. Portanto, desde o início, a sua intenção nunca foi ministrar formação básica a amadores mas sim contribuir para um muito necessário desenvolvimento da qualidade fotográfica, a nível profissional. Nascia assim, a escola Oficina da Imagem com a criação de um curso com a duração de 12 meses, em horário pós-laboral.

Desde 1978, que o projecto foi muito bem acolhido, passando a escola a receber todos os anos, além de alguns amadores avançados, muitos profissionais de todo o país e alunos do Brasil, Angola, Moçambique, de Espanha e Itália. O segredo do êxito da escola, residia no facto de o curso ser eminentemente prático, existindo apenas cerca de 10% de aulas teóricas. Ao longo de um ano, as aulas eram tão variadas, que o curso mais parecia uma sucessão de muitas e variadas práticas em eventos fotografados.
O facto de a APPImagem – Associação Portuguesa dos Profissionais da Imagem homologar o Curso Profissional e assinar os diplomas (a única escola do país com esse protocolo) muito contribuiu para a credibilização do nível do ensino praticado.

Na realidade, ao longo destes anos de atividade da Oficina da Imagem saíram centenas de fotógrafos, alguns, amadores de reconhecido mérito, inclusivamente alguns com reconhecimento internacional e muitos profissionais, hoje espalhados por todo o país, nas mais diversas áreas específicas da fotografia.

A partir de 2018, após 40 anos de atividade de escola, o professor Carlos Marques transmite a propriedade e direção da Oficina da Imagem, ao fotógrafo Fernando Branquinho.
A escola muda-se assim para o Seixal, na margem sul do tejo, continuando a estabelecer uma ligação estreita com Lisboa, estando a 15 minutos da capital.
Com uma nova reestruturação de cursos, sob a orientação do fotógrafo Fernando Branquinho a escola Oficina da Imagem irá honrar o passado e rumar ao futuro com uma constante inovação face à evolução e necessidades do mercado.

A melhor maneira de começar é parar de falar e começar a fazer!

Certificado de competências

Especializações profissionais

Ensino vocacionado para saída profissional

Equipa pedagógica experiente

Opções de pagamento flexíveis

Acesso a material didático exclusivo

Condições especiais para compra de equipamento em parceiros

Assim nasceu a Oficina da Imagem pelas mãos do seu ilustre fundador professor Carlos Marques.

Dedicado ao ensino da fotografia desde 1972.

Carlos Marques foi vários anos técnico da Kodak, que lhe proporcionou grande número de cursos e estágios em Madrid, Paris, Londres e Stuttgart, sobre os mais diversos campos de aplicação da imagem, como radiografia médica e industrial, audiovisuais, cinema profissional, microfilmagem, técnica fotográfica, técnicas de laboratório industrial, e paralelamente, formação de vendas e de marketing.

É professor de fotografia desde 1972 enquanto técnico da Kodak e fotógrafo publicitário desde 1978.

Ao longo da sua carreira profissional os seus principais campos de actividade foram os catálogos, publicidade, moda, decoração fotográfica de interiores e stands de feiras industriais.

Numa época em que os computadores ainda não tratavam fotografia, pesquisando sempre novas formas de expressão cultivou e desenvolveu diversas técnicas de efeitos especiais que aplicou em muitos trabalhos para os seus clientes, como linhas tonais, posterizações, inversões, processos cruzados, tramas, altos contrastes com Kodalith, sandwishes, exposições múltiplas, flash estroboscópico, etc. etc.

Deixou de fotografar profissionalmente em 2002 para se dedicar em exclusivo à sua escola de fotografia Oficina da Imagem que fundou em 1978 e operou em Lisboa (Monte Abraão), Porto e Funchal.

Dos seus cursos saíram muitos fotógrafos profissionais de todas as zonas do país e outros, amadores que se dedicam à arte fotográfica, têm livros publicados, fazem exposições e ganham prémios nacionais e internacionais.

A partir de 2002 dedicou-se à investigação sobre Estética Fotográfica com o objectivo de desenvolver o ensino dessa matéria mal conhecida em Portugal. É autor de vários textos pedagógicos sobre o assunto, tendo introduzido um novo método de análise e crítica fotográfica que é ensinado no seu curso profissional.

É autor de um largo número de textos pedagógicos destinados ao ensino da fotografia.

É autor e realizador da colecção CURSO DE FOTOGRAFIA em 4 cassetes de vídeo VHS que foram utilizadas durante anos, em diversas escolas secundárias como material audiovisual para o ensino de fotografia, sobretudo, em aulas de Educação Visual.

Desde 1978 organizou grande número de cursos de fotografia, por solicitação de diversas instituições públicas e privadas, em diversas partes do país.

É acreditado pelo Ministério da Educação para ministrar Cursos de Formação a professores do Ensino Secundário.

Foi consultor da Kodak para a formação, para quem produziu diversos textos técnicos, editados por esta firma, audiovisuais, e grande número de cursos para o pessoal e clientes, fotógrafos profissionais.

Tem sido convidado pela Kodak, Fujifilm, FotoSport, Foto Industrial, Beltrão Coelho, Foto Kiosk, para dar formação profissional e fazer conferências para fotógrafos profissionais.

Foi consultor para formação profissional da ANIF – Associação Nacional dos Industriais de Fotografia.

Foi colaborador da revista FOTO PROFISSIONAL.

Foi director da revista FOTOGRAFIA.

Foi chefe de redacção da revista FOTO.

Foi director da revista SUPER FOTO PRÁTICA.

Foi o organizador das JORNADAS DE FOTOGRAFIA DE LISBOA, realizadas na F.I.L. ao longo de 14 anos.

Apaixonado por viagens e conhecendo 53 países, diversas revistas publicaram o seu trabalho de reportagens internacionais em Espanha, França, Andorra, Itália, Escócia, Brasil, Macau, Índia, Nepal, Tailândia, Maldivas, Roménia, Bulgária, Bolívia, Peru, Irlanda, Holanda, Austrália e Nova Zelândia.

É autor do projecto de alteração ao Código dos Direitos de Autor, que foi apresentado pela ANIF- Associação Nacional dos Industriais de Fotografia ao Ministério da Cultura.

Foi membro do Júri do SALÃO INTERNACIONAL DE ARTE FOTOGRÁFICA DO ALGARVE. A este certame, já não existente, concorriam anualmente milhares de fotógrafos de quase uma centena de países e era reconhecido pela PSA-Photographic Society of America e pela FIAP – Fédération Internationale de l’Art Photographic como o número um entre os 150 concursos internacionais que se realizam em todo o mundo.

É associado da AFP – Associação de Fotógrafos Profissionais de Portugal, hoje, APPImagem e faz parte do Colégio de Juízes daquela instituição, cuja função é atribuir qualificações aos fotógrafos profissionais que submetem trabalhos à sua apreciação. Os profissionais associados da AFP e posteriormente, da APPImagem são reconhecidos pela FEP – Federation of European Professional Photographers.

Em 2009, foi o primeiro português a ser designado para Presidente do Júri para as Qualificações da AFP. Até então, a presidência do júri era feita por fotógrafos para tal qualificados, vindos de Espanha ou do México.

Em 2010, foi o primeiro português distinguido pela AFP com o título de Mestre Fotógrafo Instrutor, título reconhecido nos 29 países que fazem parte da FEP.

Em 2014 foi nomeado Presidente Honorário da APPImagem – Associação Portuguesa do Profissionais da Imagem, em reconhecimento “pelo seu contributo para Fotografia” –ver aqui.

A organização do World Photographic Cup, da qual fazem parte 30 países, nomeou Carlos Marques para júri internacional.

É, desde 2018, perito da Comissão Técnica de Normalização ISO (International Organization for Standartization), em Fotografia e Imagiologia.

Tendo fundado em 1978, a escola de fotografia Oficina da Imagem, ao fim de 40 anos de actividade ininterrupta, com 77 anos de idade resolveu reformar-se do ensino para se dedicar por inteiro à literatura e vendeu a escola ao fotógrafo Fernando Branquinho que assumiu o compromisso de dar continuidade ao ensino da fotografia.

Em 2018, o videógrafo e realizador de cinema Sérgio Duarte produziu uma curta metragem de 30 minutos, sobre a vida e obra de Carlos Marques, destinada a ser apresentada a concurso em festivais internacionais de cinema de curta metragem.

Da sua obra literária constam:

Meteoros – Poesia – 1990

Não se governam nem se deixam governar – Romance histórico da 1ª República – 2010

Gente sem esperança – Relato de viagem – 2011

E o Homem criou deus – Ensaio ateísta de crítica religiosa – 2011

Vaso com flores azuis – Romance – 2014

O Olhar do Fotógrafo – e-book – Estética e Comunicação Fotográfica – 2017 – ver aqui.

Obrigado Mestre Carlos Marques, Maria José Marques e a todos os Fantásticos Amigos Professores desta Grande Escola Oficina da Imagem, e aos Ilustres Júris da APPIMagem - Associação Portuguesa dos Profissionais da Imagem, sem todas estas pessoas maravilhosas nenhum de nós conseguia aqui chegar. Sou um sortudo, tenho companheiros de curso/trabalho magníficos.

Luís Castanheiro

É com grande satisfação que culmino hoje uma etapa no meu percurso profissional. Começou com um sonho que foi ganhando forma, e com dedicação, trabalho e apoio de todos aqueles que me acompanharam. Hoje estou a receber o meu diploma da Oficina da Imagem e reconhecido pela APPImagem. Em conjunto com a Menção Honrosa do meu projecto final " Musicoterapia ", com grande agradecimento a ADE - Associação Diferentes e Especiais. Obrigada a todos que directa ou indirectamente me ajudaram a concretizar mais uma etapa.

Eugénio Silva

Com bastante esforço para terminar até ao fim este curso por falta de disponibilidade, consegui finalmente concluir com sucesso... e com muito orgulho consegui obter o carimbo da APPImagem (Associação Portuguesa dos Profissionais da Imagem)! Resta-me agradecer à Escola Oficina da Imagem e a todos os professores por todos os ensinamentos e apoio nesta etapa da minha vida e claro, a todos os meus colegas pela amizade proporcionada ao longo deste ano lectivo.

Rui Veloso